sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Eu, o Estado e o Homossexualismo!


Desde muito criança tive a curiosidade despertada por temas que envolviam a moral, a ética, política e a religião. Procurava assistir todos os tele jornais para depois contar ao meu pai, que já era político e vereador pelo terceiro mandato, as novidades da política, do esporte e etc.

Não bastando, meu pai ainda era simpatizante do moralismo, anti-catolicismo ou qualquer doutrina desalinhada com o pentecostalismo clássico e apregoava isso.

Até hoje, não perdi o interesse pela maioria desses temas, mas de criança que eu era, para agora pai, as coisas mudaram muito...

Não sou bairrista, mas sou cidadão. Não acredito no sistema político, mas não sou apolítico. Não tenho religião, mas sou Igreja.

Amo minha família e a gente se guia em princípios que a maioria à nossa volta acha retrógrados, conservadores demais. Assim me sinto “o um pecador entre os santos e uma santo entre os pecadores”, como muitos de meus amados, como brilhantemente expressou o querido e lúcido Philip Yancey.

Não acredito que o divórcio seja uma boa idéia (inclusive sofri na pele as conseqüências do divórcio entre meus pais), muito menos do homossexualismo (mas tenho amigos de grande afinidade que são gays), nem por isso deixei de ama-los, respeita-los... nem por isso devo tirar o direito deles, muito menos outra pessoa ou instituição aberta (o Estado, por exemplo), fazerem o que quiser de suas vidas, saúde, condição civil ou sexualidade.

A minha vida é pra ser vivida por mim, para quem e para o que eu escolher. Eu estou tentando (apesar de errante) viver para o Amor. Muitos de meus amigos gays, divorciados, beberrões, fornicadores... estão menos errantes no caminho do amor que eu e minha família.

A negligência matrimonial, familiar, comunitárias... são desvios de conduta seríssimos que criam ambientes indutores ao homossexualismo, alcoolismo, pedofilia, dependência de drogas e mais um monte de coisas ruins.

Políticos, líderes religiosos e educadores... Cuidem de suas vidas, cuidem dos seus e amem (respeitem ao menos) que não anda em seus princípios morais, mas pagam impostos e seus salários assim como os heterossexuais e os religiosos. Saibam que não vivemos num Estado “Sexuado”, que esse Estado é laico, suas instituições são abertas (ao contrário da família, da igreja, da Igreja...) e que da mesma forma que não exita em unir civilmente um casal heterossexual (sem lhe perguntar sua escolha de conduta ética e moral) tem a mínima obrigação de fazer o mesmo pelos cidadãos homossexuais.


Daniel Babugem

5 comentários:

Anônimo disse...

Se algum politico fosse pai do Brasil, pode ter certeza ele iria ficar feliz ao ver este discurso. Infelizmente, nossos pais da poli tica esquecem da diversidade que este pais têm a oferecer. O signifi
cado do ser humano, resume em nº!

Thiago Mendanha disse...

Cara, não sei bem se entendi o final do texto, mas, se quis dizer que deveriam casar pessoas do mesmo sexo, então eis aí uma discordância minha... rs

A não ser que os padrões éticos e os princípios morais de nossa sociedade sejam invertidos por completo, ou seja, a minoria passa a ser maioria, e a maioria passa a ser minoria, ou os amorais(ou imorais) passam a ser os morais, e os morais(ou moralistas) passam a ser amorais(ou imorais), a instituição e a política vigentes devem refletir a sociedade como um todo salvaguardando o direito da diversidade e o respeito as diferenças...

Lindoélio Lázaro disse...

E aí, brother!!!?
Estou de volta na área... Agora, com Internet em casa novamente, rsrsrs...

É claro que eu vou discordar também do final do seu texto, como o Thiaguinho... Aliás, não do final, mas dos meios que o motivaram a escrever isso.
O Estado Laico não assegura a escolha sexual livre ou não, mas a religiosa e pragmática, pelo menos no papel. Os magistrados têm sim o poder de "decidir" o rumo da justiça humana da nação, biblicamente falando, e todos devem ser submissos, dando a Cézar o que é de Cézar (nem sei se é com "z" mesm, rsrs)...
Eu também tenho amigos afeminados, pessoas maravilhosas; mas eu devo amar a pessoa e isso não implica que eu tenha que concordar com as suas escolhas.

Lindoélio Lázaro disse...

Ahhh... Te botei no meu link de "blog favorito do mês"... Faz uma boquinha aí pra nós também, rsrsrsrs...

Anônimo disse...

OLÁ CARO ADMIRADOR, FIQUEI CONTENTE COM SEU CONVITE E ME SENTI DESAFIADO POR SUAS PALAVRAS, REALMENTE MEXERAM COMIGO, GOSTO DE ESCREVER TEATROS E GOSTO QUANDO PESSOAS FAZEM PARTE DELES, AGORA VOCÊ ESTÁ EM CENA, MOSTRE SEU POTENCIAL... ACREDITO EM VOCÊ!

AJUDE SEU AMIGO ME RESPONDER A PERGUNTA QUE FIZ A ELE!

ATENCIOSAMENTE,

S.T.